Busca por Assunto

Cuidados com a alimentação

Controle de ganho de peso na gestação

Controle de ganho de peso na gestação

Deve-se partir do princípio de que toda gestante deve ter um aumento em seu peso inicial, que dependerá do estado nutricional materno e do peso no início da gestação. Segue abaixo uma tabela demonstrativa:

Vale lembrar que para a gestante adolescente, em fase de crescimento e desenvolvimento, as necessidades de energia e nutrientes são ainda maiores, pois destinam-se a garantir a manutenção dos processos metabólicos e o crescimento da mãe e do feto, além do que, a dieta inadequada é comum entre elas o que, por si só, justificaria a assistência nutricional o mais precocemente possível durante a gestação.

Para gestação gemelar (dois fetos), o ganho de peso total recomendado está em torno de 16 a 20 Kg, com ganho semanal de aproximadamente 0,750 Kg no 2º e 3º trimestres, relacionando-se com melhores resultados obstétricos.

Orientação nutricional para gestantes com ganho de peso insuficiente

Orientação nutricional para gestantes com ganho de peso excessivo

É importante salientar que o fato de estar acima do peso, não significa estar bem nutrido. Esta preocupação não visa somente à estética, mas, principalmente, a garantia de que um desejado e recomendado ganho de peso, evite certas patologias durante a gestação, como o desenvolvimento de diabetes gestacional e a hipertensão arterial, que podem acontecer pelo aumento exagerado no peso e, conseqüentemente, comprometer a saúde da mamãe e do bebê.

O sobrepeso e a diabetes podem ainda causar problemas no momento do parto, e dificultar a recuperação pós-parto.

Psicologia do controle de peso e modificação do comportamento

A modificação do comportamento como coadjuvante na terapia do controle de peso é usada há alguns anos, e tem sido fundamental para o sucesso do emagrecimento. Na gravidez, com a mudança natural do metabolismo, essa modificação é muito importante.

O obeso, independentemente da idade, tem, na maioria das vezes, hábitos alimentares "precários". Se os costumes anteriores causam excesso de peso, a paciente precisa, então, mudar seus hábitos.

A gestante, com tendência a obesidade, deve estar, em primeiro lugar, consciente de que precisa controlar o peso. Mas só a consciência não basta; precisa estar realmente interessada em controlar a alimentação, desejando muito realizar essa tarefa. Deve criar soluções possíveis e ficar profundamente envolvida com o planejamento da alimentação. Se no início do plano não ficar satisfeita, deverá ter paciência e entusiasmo para ajustes e satisfação completa do programa. Esse total envolvimento é fundamental para o sucesso do programa. Se isso não ocorrer, a paciente obesa se limitará a "seguir dietas" por tempo determinado, não engordando muito em um determinado mês, mas depois tornará, provavelmente, a ter um aumento de peso mensal acima do desejado, por não ter mudado seus hábitos e padrões alimentares: hábitos alimentares são adquiridos.

A mudança de qualquer comportamento, especialmente o alimentar, não é fácil nem rápida. Enquanto aprendem novos hábitos e alteram os antigos, as pessoas precisam de incentivo e reforço positivo constantes. No começo, muito disso vem de observações próprias na forma de anotações diárias que mostram o controle sobre o comportamento alimentar. Mais tarde, o reforço virá dos comentários das outras pessoas a respeito da boa aparência, do bemestar e de uma imagem física agradável. É sempre bom lembrar que a meta é a adoção de melhores hábitos, o que, conseqüentemente, levará a um ganho adequado de peso na gestação.

A idéia do novo hábito é essencial. A gestante deve absorver e fixar essa filosofia, fazendo com que esteja presente em todos os momentos do cotidiano.

Sugestões para iniciar mudanças do comportamento alimentar

Grávida Feliz Grávida Feliz