Busca por Assunto

As últimas semanas de gestação

Como saber se está na hora

A princípio, sempre que houver dúvida, a paciente deve dirigir-se à maternidade programada ou ligar para seu(ua) médico(a). Estas orientações são recebidas durante o pré-natal.

Existem, porém, alguns acontecimentos importantes que ocorrem com maior freqüência nessa hora, como rompimento da bolsa, perda de sangue e contrações uterinas.

Rotura da bolsa

Normalmente não há dúvida sobre isso. A quantidade de líquido que sai é, geralmente, grande, o que faz a paciente ter certeza do ocorrido. Muitas vezes, a paciente acorda e observa o lençol completamente molhado e pensa, a princípio, tratar-se de urina. Aos poucos percebe que não é, pois mesmo depois de levantar-se, continua perdendo líquido. Ou então, ela está em pé e sente escorrer o líquido pelas pernas. Algumas vezes, porém, a perda de água, por ser pequena, gera dúvida.

Quando ocorrer a rotura de bolsa, e o líquido for claro ou branco leitoso, não há necessidade de preocupação. Basta se dirigir à maternidade calmamente. Se o líquido for de cor verde (mecônio - fezes do bebê), a gestante deve se dirigir à maternidade, porém muito rapidamente porque o bebê pode estar sofrendo por falta de oxigênio.

Perda de sangue

É normal se ocorrer bem no início da dilatação, quando ainda não se iniciou o trabalho de parto propriamente dito. De qualquer forma, a gestante deve encaminhar-se para a maternidade ou entrar em contato com seu médico ou equipe.

Contrações uterinas

As contrações são classificadas quanto à sua intensidade, duração e freqüência. Durante a gestação, existem as contrações esporádicas, curtas e indolores, não têm ação sobre a dilatação do colo uterino. No trabalho de parto é diferente. As contrações são dolorosas, coordenadas e mais freqüentes. Geralmente no início ocorrem em intervalos de uma hora, depois 30 minutos, 15 minutos, chegando até de três a quatro contrações em 10 minutos. No começo, duram de 15 a 20 segundos, mas com o progredir do trabalho de parto, passam a durar em média 40 segundos. O momento ideal para ir ao hospital, dependerá das expectativas da paciente e da situação do bebê nas últimas consultas. Particularmente, acreditamos que o momento ideal para o parto normal é quando acontecem duas contrações de intensidade média a cada 10 minutos. Isso se for o primeiro filho e se não houver nenhuma intercorrência. Se a gestante já tiver outros filhos, vai depender dos partos anteriores e dos exames de toque realizados pelo médico nas últimas semanas.

Alarme falso

No caso do primeiro filho, quando tudo é novidade, a futura mamãe, pode confundir os sintomas. No final da gestação, chega a acreditar que "já está na hora", porque aquelas dores já descritas no último mês passam a acontecer de forma muito intensa e se assemelham às contrações do trabalho de parto. Assim, a gestante inexperiente vai para a maternidade carregando a sua mala e volta para casa "frustrada e envergonhada", por ter se enganado. Essas idas "enganosas" são muito comuns, e não devem ser motivo de aborrecimento. É preferível ir ao hospital e ficar tranqüila, a permanecer em casa preocupada.

Atenção!
Estas orientações podem variar de médico para médico; converse com o seu.

O parto

Quem fará o seu parto ?
Como entrar em contato?

A qualquer momento podem surgir dores, sinais ou outros sintomas (relatados nos próximos itens), que indicam que a ocasião do parto está próxima. Nesta hora, dependendo do que foi combinado com o(a) obstetra, a paciente deverá ligar para ele(a) ou dirigir-se diretamente para a maternidade previamente programada. Após criterioso exame, a obstetriz de plantão, de posse do diagnóstico do trabalho de parto, encaminhará ou não a paciente para o centro obstétrico.

Grávida Feliz Grávida Feliz