Busca por Assunto

Perguntas e Respostas

A Fertilidade após Vasectomia e Laqueadura Tubária

Vasectomia

1) O que é vasectomia e por que impede o homem de ter filhos?
R: Na vasectomia é cortado o ducto deferente, que é o ducto que leva os espermatozoides do testículo e do epidídimo para o exterior durante a ejaculação. Portanto, a vasectomia não afeta a fabricação de espermatozoides nem dos hormônios masculinos e não existe qualquer influência no desempenho sexual.

ipgo

2) Um homem que foi submetido à vasectomia pode ter filhos?
R: Sim, mas é necessário a ajuda médica.

3) Quais são as maneiras que um homem pode conceber quando ele tem vasectomia?
R: Existem duas maneiras. A primeira é através da reversão de vasectomia, isto é, realiza-se uma nova microcirurgia para “juntar”, ou seja, “ligar” novamente os dois lados do ductos deferente que estão separados. A segunda possibilidade é a Fertilização In Vitro. Nessa técnica a obtenção dos espermatozoides é realizada pela técnica PESA, que é a aspiração dos espermatozoides diretamente do epidídimo. Os gametas masculinos são encaminhados ao laboratório e os óvulos são fertilizados através da técnica de ICSI – InjeçãoIntracitoplasmática do Espermatozoide (explicado no capítulo 12 – Fertilização In Vitro). Se não for possível retirá-los do epidídimo, poderá ser realizada a TESA (Biópsia do Testículo), de onde são retirados os espermatozoides. A preferência sempre é pela PESA (detalhes sobre Fertilização In Vitro – capítulo 12).

4) Como decidir pela reversão dos ductos deferentes ou pela Fertilização In Vitro?
R: Ambos oferecem vantagens e desvantagens e para decidir é necessário que se conheça bem o universo do casal. Devem ser avaliadas as pretensões futuras do casal em relação ao número de filhos, o receio da gestação múltipla, a idade da mulher e o tempo que foi realizada a vasectomia.

5) Até quanto tempo após a vasectomia vale a pena fazer a reversão?
R: Para se tentar uma gravidez natural, se não houver outros inconvenientes relatados na questão anterior, o prazo é de até 5 anos. Após esse período já é quase certo o surgimento de anticorpos antiespematozoides que impedem a gravidez natural. Esses anticorpos podem surgir até antes desse período, mas após 5 anos é mais comum. A cirurgia para reversão da vasectomia pode ser feita mesmo após esse tempo, pois mesmo não dando resultado de gestação espontânea, a coleta do sêmen para a Fertilização In Vitro será mais fácil, sendo dispensada a Punção Aspirativa para obtenção dos espermatozoides (PESA).

6) Quais são as chances de sucesso da reversão da vasectomia?
R: Se depender do sucesso da simples recanalização, os resultados chegam a 80%. A taxa de gravidez, dependendo de quanto tempo foi realizada a vasectomia, não supera a 30%.

7) Quanto tempo é necessário para se obter os resultados?
R: Demora de 12 a 18 meses. Espermogramas realizados periodicamente dão a ideia do sucesso da intervenção.

8) Quais são as desvantagens da reversão da vasectomia?
R: Existem algumas. Em primeiro lugar essa intervenção é uma pequena cirurgia e, por isso, não devem ser excluídas as eventuais complicações. Depois deve ser avaliada a idade da mulher para que se pondere o tempo de espera da recuperação para o marido fabricar espermatozoides viáveis sem prejudicar a taxa de sucesso de gravidez (mulher ao redor de 40 anos). Finalmente lembrar que se a cirurgia for bem-sucedida, o casal terá que realizar contracepção após o nascimento dos filhos, o que nem sempre é o desejo da mulher.

9) Existem inconvenientes na Fertilização In Vitro?
R: É muito importante que sejam considerados. Um deles é a gestação múltipla. Uma vez que nessas condições o homem pode já ter filhos de outros casamentos e, algumas vezes, já não faz tanta questão de tê-los, a não ser pelo desejo de agradar a mulher que ama. O número de filhos que será adicionado ao seu orçamento pode ser muito importante. Por isso, esse efeito colateral da gestação múltipla deve ser exaustivamente discutido com o casal. Outros fatores como o custo financeiro do procedimento e as chances de sucesso devem ser avaliados.

10) Até quanto tempo, após a realização da vasectomia, ainda é possível ter filhos?
R: O tempo de vasectomia não impede que o homem tenha filhos. Não importa se foi há 10, 15 ou 20 anos. A produção de espermatozoides é contínua, o testículo não pára. Como já foi respondido nas perguntas anteriores, o único impedimento que o tempo da vasectomia causa é a chance de gravidez natural.

11)Como é e quando é realizada a retirada dos espermatozoides?
É feita pela técnica PESA (capítulo 5). Pode ser realizada com anestesia local ou sedação profunda idêntica à sedação que a mulher recebe para a coleta dos óvulos. O procedimento é feito logo em seguida à retirada dos óvulos da mulher e dura de 10 a 15 minutos. Somente em casos extremos a retirada dos espermatozoides é feita por biópsia de testículo. O paciente deverá utilizar um suspensório escrotal por 5 a 7 dias e bolsa de gelo por 24 horas. A dor é mínima.

LAQUEADURA
ipgo
Laqueadura

12) O que é laqueadura?
R: Laqueadura é a interrupção do trajeto das tubas ou trompa. O óvulo se encontra com o espermatozoide através de um “ducto” chamado tuba ou trompa. Esse ducto traz o óvulo dos ovários em direção ao útero e os espermatozoides fazem o caminho contrário. Na laqueadura esse trajeto é interrompido pela cirurgia. As tubas podem ser cortadas, amarradas ou os dois. Existe uma variação de técnicas para essa intervenção e cada médico aplica a que julgar melhor.

13) Uma mulher que fez laqueadura pode ter filhos?
R: Sim. Existem duas possibilidades. Pode-se fazer a reversão por meio de uma cirurgia que, pode ser convencional ou pela via laparoscópica, ou através da Fertilização In Vitro (ver mais detalhes capítulo

12) O que é laqueadura?
R: Laqueadura é a interrupção do trajeto das tubas ou trompa. O óvulo se encontra com o espermatozoide através de um “ducto” chamado tuba ou trompa. Esse ducto traz o óvulo dos ovários em direção ao útero e os espermatozoides fazem o caminho contrário. Na laqueadura esse trajeto é interrompido pela cirurgia. As tubas podem ser cortadas, amarradas ou os dois. Existe uma variação de técnicas para essa intervenção e cada médico aplica a que julgar melhor.

14) Qual o critério para escolher uma ou outra?
R: Vai depender da idade da mulher, do número de cirurgias que já foi submetida e do espermograma do marido.

15) Explique melhor.
R: Se a mulher estiver próxima aos 40 anos pode ser prejudicial para a fertilidade aguardar o tempo de recuperação da cirurgia, uma vez que a qualidade dos óvulos diminui progressivamente a partir dessa idade. O segundo ponto é o número de cirurgias que a paciente já foi submetida e que podem dificultar tecnicamente o sucesso da intervenção. O último detalhe é avaliar o espermograma do marido, pois se houver alterações importantes que impeçam a gravidez natural, de nada vai valer a reversão. Neste caso, passa-se diretamente para a Fertilização In Vitro.

16) Qual a chance de sucesso na cirurgia para reversão da laqueadura?
R: Vai depender muito das condições que as tubas se encontram. Muitos médicos tiram pedaços grandes das trompas para garantir o máximo sucesso da esterilização. Nestes casos, a chance de sucesso é menor. Entretanto, de um modo geral a chance de recanalização é ao redor de 80% e a taxa de gravidez, dependendo de outros fatores, é de 50%.

17) Se a mulher estiver com idade abaixo dos 35 anos a reversão da laqueadura é sempre a melhor opção?
R: Nem sempre. As mulheres que foram submetidas a essa cirurgia normalmente têm mais do que dois filhos. O inconveniente da recuperação das tubas é que, obtendo-se o sucesso existirá depois a preocupação da contracepção, caso não queira ter mais filhos.

18) Qual o inconveniente da Fertilização In Vitro?
R: São os mesmos que na reversão da vasectomia. Chance de gestação múltipla e custo financeiro.

19) Até quanto tempo após a laqueadura pode ser feita a reversão?
R: Diferente da vasectomia, não existe prazo. O único limitante é a idade da mulher.