Busca por Assunto

Perguntas e Respostas

Miomas Uterinos

1) O que são miomas e porque surgem?
R: Miomas são tumores benignos localizados no útero. Também são chamados de fibromas. As causas dos miomas são desconhecidas, mas acredita-se que haja predisposição genética ou uma maior suscetibilidade à estimulação do hormônio estrogênio, que normalmente está no organismo da mulher.

2) Quais são os principais sintomas que causam na mulher?
R: Na maioria das mulheres é assintomático. Porém, podem ocorrer sintomas dependendo da localização no útero. Podem causar hemorragia, desconforto abdominal, alterações urinárias e dor.

3) Quais são os tipos de mioma?
R: Existem 3 tipos classificados de acordo com a sua localização:
a) subserosos: crescem para fora do útero e só prejudicam a gestaçãose forem muito grandes;
b) intramurais: estão localizados no meio da musculatura uterina e só prejudicam a gestação se estiverem muito próximos da cavidade uterina ou aos orifícios tubários, deformando muito a arquitetura.
c) submucosos: localizados no interior do útero, podem causar hemorragia e impedir a implantação do embrião.


ipgo
Os três tipos de miomas

4) Existe relação entre o mioma e o câncer?
R: O leiomiosarcoma, que é a versão maligna do mioma, é raro e ocorre em menos de 1% dos casos. Só é suspeitado quando há um crescimento muito rápido do tamanho.

5) Em qual idade da mulher os miomas são mais comuns?
O período mais comum é entre os 35 e 45 anos. Na puberdade são muito raros.

6) De que maneira os miomas podem afetar a fertilidade?
R: Os miomas podem impedir a implantação do embrião por causar uma deficiência na circulação sanguínea no local. Podem provocar abortamento, quando estiverem no interior da cavidade uterina (submucoso) ou, por compressão, podem obstruir as tubas uterinas No caso dos miomas submucosos funcionam como um DIU (Dispositivo Intrauterino).

7) Como é feito o diagnóstico de um mioma submucoso?
R: Pelo ultrassom, histerossalpingografia, histerossonografia e/ou videohisteroscopia. As descrições desses exames são vistas no capítulo 3 – “Exames para Avaliação da Fertilidade Masculina e Feminina”.

8) Como os miomas são tratados?
R: Quando houver necessidade de tratamento, a melhor alternativa é a cirurgia. Entretanto, em casos especiais poderá ser feito tratamento clínico ou Embolização da Artéria Uterina.

9) Quais são os tipos de cirurgia para a retirada do(s) mioma(s)?
R: São 3 tipos:
a indicação de cada uma vai depender da localização, do tamanho do mioma e da experiência do cirurgião. Se o mioma for pequeno e estiver no interior do útero (submucoso), a melhor técnica é a videohisteroscopia, que é pouco agressiva, pouco invasiva e de complicações raras. Se o mioma for grande e estiver no meio da musculatura ou na região externa do útero, a melhor opção é a videolaparoscopia ou a cirurgia convencional realizada com uma incisão no abdômen. A Embolização da Artéria Uterina, é feita em parceria com radiologistas. Isso, muitas vezes, inviabiliza o procedimento pela dificuldade da paciente em ser consultada por esse profissional. A indicação deste procedimento não é comum e só é utilizada em casos de miomas que estão em localização de difícil acesso pela cirurgia. Novas alternativas como o Sistema ExAblate® 2000, uma técnica não invasiva e a cirurgia robótica estão em estudos e podem ser consideradas, mas ainda com certa precaução.

10) A miomectomia (cirurgia para retirada do mioma), causa riscos a paciente?
R: Qualquer cirurgia tem seus riscos, mesmo quando executada por cirurgiões habilitados. Por isso, a indicação cirúrgica deve ser bem avaliada. No tocante à fertilidade, a preocupação deve ser ainda maior, pois, muitas vezes, a retirada do mioma pode resultar em alterações da estrutura do útero e na formação de aderências. Outros órgãos como as tubas e intestino podem grudar (aderir) sobre a cicatriz de onde foi retirado o mioma e causar outros problemas de fertilidade que até o momento não existiam.

11) A miomectomia pode influenciar no momento do parto?
R: Sim. Dependendo da profundidade do mioma na musculatura uterina, a cicatriz resultante do mioma retirado poderá causar um enfraquecimento na região e até mesmo uma rotura uterina antes do final da gestação ou no trabalho de parto. O médico que estiver realizando o pré-natal deverá ter conhecimento da proporção da intervenção cirúrgica realizada, para tomar medidas cabíveis e evitar complicações na gravidez.

12) Em que situações podem ser indicados os tratamentos clínicos?
R: Na maioria das vezes são indicados previamente às cirurgias, com objetivo de reduzir o tamanho dos miomas e facilitar a intervenção. Os hormônios receitados com essa finalidade tem o inconveniente de serem caros e causar efeitos colaterais desagradáveis como ondas de calor, semelhante à menopausa. A indicação deste tipo de tratamento deve ser avaliada rigorosamente para identificar o seu real benefício.